Os Florais de Bach e o Feminino

Para falarmos do feminino, voltemos no tempo da própria história, onde observamos a ascensão de divindades masculinas, que dominaram a alma usurpando o lugar da Deusa, ao tentar destruir-lhe as manifestações exteriores.

Esse período trouxe o desenvolvimento de várias capacidades da alma humana: o domínio do mundo físico pelo imperialismo; a evolução da ciência materialista vinculada com uma cultura tecnológica; exploração e desperdício dos limitados recursos da Terra; e a agressão na sociedade pelas guerras nacionalistas.

A partir da metade do século, o humano ligou-se conscientemente com o lado feminino da psique. Ressurge a Deusa pela preocupação com o ser e com a integridade da Terra. O mundo masculino com seus valores materiais, individualismo, racionalismo exacerbado, competitividade e domínio da natureza não deram a homens e mulheres a qualidade de vida esperada.

Após tantas lutas, percebemos na profundeza de nossa alma, que não somos exclusivamente nem masculino e nem feminino, mas ambas as facetas integradas em nosso psiquismo. Vivemos um período de redefinições, pois estamos no caminho da individuação, o encontro com o self, o florir da autoconsciência.

Onde entram os florais nesse diálogo interno e feminino?

O sistema floral do Dr. Edward Bach é o reencontro com a alma, perdida na luta secular pelo poder. As flores atuam na nossa dimensão emocional, elevando a vibração energética de forma gentil, na busca das virtudes internas e no controle das emoções. São 38 essências mais o Rescue Remedy agindo como catalisadores, transformadores de nossas disposições mentais negativas, essas sim as verdadeiras doenças; tais como o medo, a inveja, o ciúme, a insegurança, etc…

Essas 38 essências estão divididas em 7 grupos de personalidades distintas, para que o sistema fique simples e natural no trabalho de equilibrador da natureza original do ser. Assim, são capazes de curar o sofrimento da alma e equilibrar os corpos físico, mental e psíquico; atingindo a harmonia pela união com o Eu Superior.

Dessa forma a mulher, perdida de seu poder interno e de seu feminino, será capaz de resgatar a si mesma, em todo seu potencial de criação e realização.O caminho é esse jardim de cura, capaz de conduzir a alma nessa viagem pelo ego, possibilitando à mulher ser parte da unidade no humano da vida.

Para encerrar citaremos o Dr. Bach em sua filosofia:

“A VIDA NÃO NOS EXIGE SACRIFÍCIOS INATINGÍVEIS; NOS PEDE QUE FAÇAMOS NOSSO CAMINHO COM ALEGRIA NO CORAÇÃO, E QUE SEJAMOS UMA BENÇÃO PARA OS QUE NOS RODEIAM, DE FORMA QUE SE DEIXARMOS O MUNDO APENAS UM POUQUINHO MELHOR DO QUE ANTES DE NOSSA VISITA, ASSIM CUMPRIREMOS NOSSA MISSÃO”.

Fátima Rodrigues & Noelly Heredia
Psicoterapeutas
Tel: 2549 4813

Esta entrada foi publicada em Uncategorized. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>