Na sombra das emoções com os Florais de Bach

Propomos uma relação da raiva, como a grande sombra das emoções, com os Florais de Bach. Para tanto iniciamos com uma citação do próprio Dr. Bach, do livro Cura-te a ti Mesmo: “Ainda não conseguiram perceber que um traço de condenação contra nós mesmos ou os outros é um traço de condenação contra a Criação Universal do Amor, restringindo-nos e limitando o nosso poder de permitir que o Amor Universal se irradie através de nós para os outros”.
Condenamos e restringimos o amor por não sabermos lidar com a raiva que existe por trás de nossas perspectivas limitadas de satisfação e realização. Por não perdoarmos ou aceitarmos os erros e as imperfeições.
Escolhemos quatro Essências do Sistema Bach que nos possibilita uma maior reflexão sobre esse tema. São elas: PINE, CRAB APPLE, HOLLY e WILLOW.
Vejamos a raiva de cada uma e como reagem diante das circunstâncias da vida:
PINE – A raiva vem pela autocensura, pela autocondenação e pelo abatimento. A raiva que sente é de si pela insatisfação com as próprias realizações, por não alcançar melhores resultados, inclusive diante de seus elevados padrões. São os responsáveis por todos os erros, permitindo que o complexo de culpa tire todo seu prazer pela existência.

CRAB APPLE A raiva vem pelo desgosto e aversão de si mesmo e pelas qualidades negativas de sua natureza (autorreprovação). A raiva que se sente é de si por agir de forma cruel, pela impureza devido a um hábito mental não modificado e pela aparência imperfeita.
HOLLY A raiva vem pelo ciúme, pela desconfiança, pela revolta e pelo sentimento de ódio em todos os níveis. Ódio que está por trás dos aspectos negativos do caráter. Dá origem à insegurança, a agressividade, ao ciúme, a inveja e a desconfiança. A raiva é do outro por estar contra ele, produzindo mal-entendidos, sentimentos negativos e irados para com os semelhantes.
WILLOW A raiva é pelo ressentimento íntimo, pela amargura e pela atitude de “vítima do destino”. A raiva é do outro, apesar de “engolida”, pois joga no mesmo a culpa pelos seus erros, por seus infortúnios e adversidades. Sentem-se marcados pelo destino para fracassar ou sofrer, contudo não por uma falta sua. Vê-se injustiçado pelo tratamento que recebe e por seus esforços não compensados.
Encerramos com outra citação do Dr. Bach do livro “Conhece-te a ti Mesmo”: “Nenhuma grande escalada jamais foi empreendida sem falhas e quedas, de modo que estas devem ser consideradas como experiências que nos ajudam a tropeçar menos no futuro. Nenhum pensamento referente a erros passados deve nos deprimir; são coisas passadas e concluídas, sendo que o conhecimento adquirido por seu intermédio ajuda-nos a evitar que eles se repitam”.
Desejamos boa sorte a todos!
 
 

Esta entrada foi publicada em Uncategorized. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>