O Rescue Remedy no Sofrimento

Muitos ainda cultuam a idéia de que o sofrimento é um mal necessário. Parece-nos que existe no inconsciente coletivo essa espécie de compromisso com a dor. O sofrimento não constitui um dado da natureza, mas uma posição designada, assumida e reconhecida, culturalmente, entre sujeitos históricos.

O sofrimento não deve ser ignorado, evitado, desprezado, glorificado e nem tão pouco dramatizado. Ele é a indicação de que o indivíduo começa a perceber que a vida fora da unidade é dolorosa, penosa e infeliz.

A alma sofre porque nossa consciência é dirigida para a natureza conflituosa dos nossos falsos limites e a vida fragmentada que neles se apóia. Nossos condicionamentos socioculturais nos levam a receber e interpretar quase tudo que nos contraria sempre como negativo. Acreditamos que a vida deveria estar à mercê de nossas vontades.

O homem é na realidade um permanente produto de condicionamentos. A memória, por mais inconsciente, não exclui nada. Dificilmente saímos daquilo que o passado determina.
Na verdade a dor tem uma relação direta com nossa expectativa de ser satisfeito em nossos desejos. Quando contrariados é como se a vida e o todo conspirassem contra nós. Decepcionamo-nos e perdemos nosso equilíbrio emocional.

Não nos damos conta que a insatisfação está naturalmente implícita no desejo. Ele é o fomentador de expectativas e ansiedade, e a causa dos nossos grandes males: a cobiça, a voracidade, a ambição e a ganância.

Caso não compreendamos adequadamente o sofrimento, ficamos paralisados sem saber o que fazer. Devemos aprender a viver além do sofrimento, buscando seu significado. Caso contrário, nos congelamos no mesmo e perdemos a visão da realidade.

Nossa indicação para esses momentos de emergência, trauma e sofrimento, onde é necessário estabilizar as emoções e favorecer a cura, é o composto de Bach RESCUE REMEDY.

O Rescue Remedy diminui a ansiedade causada por situações difíceis e estressantes. É o remédio para o relaxamento de tensões internas passageiras, para o choque energético e para impedir situações de crise durante doenças crônicas.

Ele permite o reequilíbrio quando há desintegração do sistema energético. Age limpando tanto no físico como no mental as marcas deixadas, mobilizando respostas de defesa e cicatrização.

Portanto, o Rescue Remedy previne a desorganização do sistema energético em estados de crise, sejam causadas por um susto, um acidente, más notícias ou situações que tragam desequilíbrio crônico ou agudo, e que enfraquecem as defesas do indivíduo.

Durante emergências o uso do Rescue Remedy é recomendado, pois a pessoa sofre uma variedade de perturbações emocionais e psicológicas, que podem incluir medo, pânico, tensão e estresse.

Fátima Rodrigues& Noelly Heredia
Av. Nossa Senhora de Copacabana 769/401
Tel: 25494813

Publicado em Uncategorized | Deixar um comentário

Os Florais de Bach e o Feminino

Para falarmos do feminino, voltemos no tempo da própria história, onde observamos a ascensão de divindades masculinas, que dominaram a alma usurpando o lugar da Deusa, ao tentar destruir-lhe as manifestações exteriores.

Esse período trouxe o desenvolvimento de várias capacidades da alma humana: o domínio do mundo físico pelo imperialismo; a evolução da ciência materialista vinculada com uma cultura tecnológica; exploração e desperdício dos limitados recursos da Terra; e a agressão na sociedade pelas guerras nacionalistas.

A partir da metade do século, o humano ligou-se conscientemente com o lado feminino da psique. Ressurge a Deusa pela preocupação com o ser e com a integridade da Terra. O mundo masculino com seus valores materiais, individualismo, racionalismo exacerbado, competitividade e domínio da natureza não deram a homens e mulheres a qualidade de vida esperada.

Após tantas lutas, percebemos na profundeza de nossa alma, que não somos exclusivamente nem masculino e nem feminino, mas ambas as facetas integradas em nosso psiquismo. Vivemos um período de redefinições, pois estamos no caminho da individuação, o encontro com o self, o florir da autoconsciência.

Onde entram os florais nesse diálogo interno e feminino?

O sistema floral do Dr. Edward Bach é o reencontro com a alma, perdida na luta secular pelo poder. As flores atuam na nossa dimensão emocional, elevando a vibração energética de forma gentil, na busca das virtudes internas e no controle das emoções. São 38 essências mais o Rescue Remedy agindo como catalisadores, transformadores de nossas disposições mentais negativas, essas sim as verdadeiras doenças; tais como o medo, a inveja, o ciúme, a insegurança, etc…

Essas 38 essências estão divididas em 7 grupos de personalidades distintas, para que o sistema fique simples e natural no trabalho de equilibrador da natureza original do ser. Assim, são capazes de curar o sofrimento da alma e equilibrar os corpos físico, mental e psíquico; atingindo a harmonia pela união com o Eu Superior.

Dessa forma a mulher, perdida de seu poder interno e de seu feminino, será capaz de resgatar a si mesma, em todo seu potencial de criação e realização.O caminho é esse jardim de cura, capaz de conduzir a alma nessa viagem pelo ego, possibilitando à mulher ser parte da unidade no humano da vida.

Para encerrar citaremos o Dr. Bach em sua filosofia:

“A VIDA NÃO NOS EXIGE SACRIFÍCIOS INATINGÍVEIS; NOS PEDE QUE FAÇAMOS NOSSO CAMINHO COM ALEGRIA NO CORAÇÃO, E QUE SEJAMOS UMA BENÇÃO PARA OS QUE NOS RODEIAM, DE FORMA QUE SE DEIXARMOS O MUNDO APENAS UM POUQUINHO MELHOR DO QUE ANTES DE NOSSA VISITA, ASSIM CUMPRIREMOS NOSSA MISSÃO”.

Fátima Rodrigues & Noelly Heredia
Psicoterapeutas
Tel: 2549 4813

Publicado em Uncategorized | Deixar um comentário

Reflexão Sobre Terapia Regressiva – Um enfoque Consciencial

Refletindo profundamente na TR, o interesse pelas dimensões superiores e espirituais da psique, leva a ciência a se interessar pelas capacidades e potencialidades últimas; onde a auto realização humana não se esgota no “ser plenamente pessoa”, acessando a dimensão cósmica, espiritual ou a transcendência dos próprios limites da pessoa.

É dada atenção ao fenômeno experiencial em si, ou seja, fenômenos extraordinários de alteração da consciência, e os posteriores efeitos e implicações psicológicas, para a compreensão da estrutura, da dinâmica e do desenvolvimento da personalidade.

O conteúdo do eu é o conteúdo do mundo. A saúde envolve mudança da identificação exclusiva com a personalidade, mais do que uma modificação desta. O indivíduo não tem um único eu, mas uma multidão intrapsíquica de eus autônomos (sub personalidades para Assaglioli), com os quais, alternadamente, a consciência se identifica. O conteúdo do eu é o conteúdo do mundo.

O caminho da Transformação é evitar a identificação com qualquer um dos pólos opostos, controlando e dirigindo a energia para um centro unificador mais elevado de consciência e poder. Transformar é unificar e integrar a vontade com o amor, humanizando o poder. Amor e poder é o mais básico dos antagonismos. A vontade desenfreada pode ser perigosa pela carência de coração e o amor sem vontade pode tornar-se débil, sentimental, ineficaz e excessivamente emocional.

O amor sendo magnético e extrovertido tende a unir, e a vontade sendo dinâmica tende a ser dominadora, separativa e gera dependência.

A atitude antagônica com relação à vontade, pode ter sido causada por uma reação exagerada contra a imposição impiedosa e imoderada desta qualidade no passado.

Trabalhamos com o desapego, condição para o bom desenvolvimento fisiológico e psíquico, propiciando abertura para o mundo do Ser Essencial. O desapego é mais que uma atitude moral; trata-se de substituir uma atitude ego – centrada, para uma atitude teo – centrada (se tornar um lugar disponível no qual Deus possa entrar). É se libertar do que possuímos e do que nos possui, bem como das marcas inconscientes que estão na origem dos nossos apegos.

Construímos um novo nível de consciência, para que a alma em sua imortalidade busque o verdadeiro caminho do desejo infinito, sua evolução.

Fátima Rodrigues & Noelly Heredia
Psicoterapeutas
Tel: 2549 4813

 

Publicado em Uncategorized | Deixar um comentário

Terapia Regressiva com Enfoque Transpessoal – Os Fenômenos Psíquicos Vistos Além do Cérebro

Para nós os fenômenos psíquicos são vistos além do cérebro (esse é apenas o receptor e não o produtor dos fenômenos ligados ao pensamento).

O modelo transpessoal que fala da expansão da consciência além do ego e do conceito de tempo e espaço conhecido, ou seja, além da realidade tridimensional, infelizmente acaba confundido com religiosidade e falta de embasamento científico.

O enfoque básico do modelo transpessoal é o estudo da consciência e seus diferentes estados, e o reconhecimento das dimensões espirituais da psique, da consciência cósmica e unitiva. Traz assim a sutileza do espiritual para a matéria e a concretude da matéria para o espiritual. Integra as dualidades!

A proposta da Terapia Regressiva é a de que o desenvolvimento do ser humano, em cada existência, é possível através de mortes e renascimentos. Sucessivamente e em cada nova experiência renasce um ser novo, mais capaz e sábio, quando aceitou e elaborou suas mortes anteriores. É daí que poderá surgir uma nova etapa de evolução do ser, uma nova consciência, como um ser em evolução.

Trabalha-se com a dinâmica experiencial com o intuito de acessar um estado mental de outro nível bem mais elevado para emergirem novas respostas, mobilizando os próprios recursos interiores que a pessoa tem e que podem ser acessados sob certas circunstâncias. Não esqueçamos que o eu pessoal está sobrecarregado e identificado com máscaras e papéis que a pessoa desempenha, sem contato com a própria essência. Tão preso que se mantém em suas crenças e padrões.

Dessa forma a TR propicia o revivenciar contatando com nossa imortalidade, favorecendo o desapego a modelos passados e facilitando o contato com a nossa própria transcendência.
A parte mais valiosa desse processo não é a regressão em si, mas a Ação Transformadora, a reelaboração de crenças e decisões. É ela que expande nossa consciência.

A regressão de memória a esta ou outras vidas é utilizada terapeuticamente para conscientizar, transformar e integrar os conteúdos bloqueados do inconsciente, possibilitando um nível diferenciado de conscientização. Percebemos o quanto somos ainda comandados por decisões do passado que se transformam em núcleos de apego, dos quais não conseguimos desidentificar.

Não nos importa a crença da pessoa, o importante é que os conteúdos mentais que surgem tenham relação com o aspecto psicológico, emocional ou espiritual de sua vida. A TR utiliza-se de vivências em estados modificados de consciência, que é um estado de atenção focalizada, onde não se perde a consciência. A pessoa é ativa e participante durante todo o processo regressivo.

Estar em estado modificado de consciência não é ficar inconsciente, pelo contrário, é ficar com uma atenção especial, focalizada num determinado estímulo (isso nos acontece naturalmente quando esquecemos das coisas ao nosso redor).

A TR, portanto, enfatiza a experiência vivenciada dos conteúdos emergentes, pois são essas vivências que possibilitam o processo de integração das experiências dissociadas da consciência à vida cotidiana.

Fátima Rodrigues & Noelly Heredia
Psicoterapeutas
Tel: 2549 4813

Publicado em Uncategorized | Deixar um comentário

Terapia Regressiva Consciencial – As Crenças na dinâmica do Ser Observador

A origem da crença falsa que gera a vontade de poder vem da história arquetípica de Adão e Eva; onde Eva promete à Adão que será capaz de usurpar o conhecimento e o poder de Deus e assim ganhar onisciência e onipotência sobre o futuro e, consequentemente, como Deus, tornar-se  imortal.

“Uma falsa crença em sua base é uma vontade de poder, uma megalomania anormal que tenta suplantar até mesmo Deus”, afirmamos citando Gerald Epstein no livro Curar para a Imortalidade, pg. 48.

A vontade de poder vem, portanto, do impulso de usurpar o conhecimento e poder de Deus, a fim de controlar o futuro ou o destino.
Perdemo-nos, desviamos da retidão moral e atrofiamos nossa humildade, visto que a vontade de poder requer que subjuguemos ou dominemos os outros de alguma forma.

Cada experiência, não importa se acontece no mundo externo da realidade do dia-a-dia ou no mundo interno da consciência subjetiva, ou na realidade do sonho durante o sono, é HOLOGRÁFICA. Por isso que a Experiência Terapêutica da Transcendência e da Ação Altruística Transformadora exige que treinemos nossos sentidos, aprendendo a pensar de forma analógica e aprendendo a ler imagens holográficas. Assim ficamos menos dependentes do controle externo e de suas consequencias.

Retornando as crenças, elas são idéias que surgem no nível da realidade espiritual vertical, modelo que determina que as crenças criam as experiências, que o invisível faz surgir o visível, que o interno cria o externo e que os pensamentos criam ação por meio de imagens. As experiências, portanto, apenas confirmam nossas crenças, e estas se refletem como imagens.

Temos sim o poder de controlar nossas próprias criações. Podemos controlar nossas crenças e mudar nossa mente de acordo com nossa vontade. Somos a fonte viva de nossas experiências e não seus recipientes passivos, daí podermos criar tanto experiências construtivas quanto destrutivas.

As experiências não criam quem somos!

A analogia e a holografia são relevantes para o entendimento das crenças e sua ação nos vínculos, pois que a experiência se materializa a partir da vontade ativa de um que encontra a vontade passiva e receptiva de outro.

Somos constantemente dependentes uns dos outros. Os antepassados estão presentes, os mortos estão presentes, nosso passado está presente e nossas ações estão presentes. Estamos vinculados a um sistema e ninguém é autônomo em relação aos seus antepassados, bem como as suas personalidades passadas. Caso contrário, agiríamos exclusivamente em função do si mesmo. Tornaríamos prisioneiros de uma liberdade vazia.  No interior dos vínculos há liberdade quando ela favorece a todos e não somente a individualidade.

As pessoas fracassam, morrem ou adoecem quando infringem a hierarquia, pois individualiza-se contra o grupo. Estamos vinculados e precisamos aceitar isso. Esse é o ponto final da individualização.

Quando condenamos qualquer pessoa, recebemos sua energia. Em nome da boa consciência, nos sentimos no direito de atacar e aniquilar outros.

A regressão de memória é um instrumento útil no movimento de reconciliação, seja entre nós e os antepassados como com nossas múltiplas personalidades passadas. Seus destinos nos influenciam, tornando-nos doentes ou deficientes ou curando-nos quando as trazemos à consciência.

Aprendemos a enterrar inconscientemente nossas feridas, necessitamos aprender a identificar suas projeções, aprofundando nossa empatia pelos outros e por nós mesmos. Assim, deixamos de evocar a sombra de poder que nos leva a inveja do potencial de crescimento do outro.

Devemos aprender as lições que os nossos antepassados e nossas almas deixaram de aprender! Se falharmos, manteremos ou criaremos novas identificações, nos aprisionando dentro de crenças que limitam nossa evolução.

Fátima Rodrigues & Noelly HerediaDiretoras do Instituto Brasileiro de Pesquisa em Terapia de Vida Passada – IBRAPETel:25494813 ou 22357014

Publicado em Uncategorized | Deixar um comentário

O espaço Flor de Menta convida para o curso: A Assinatura das Flores de Bach e a Personalidade Humana

Publicado em Uncategorized | Deixar um comentário

Harmonizando os Chakras com os Florais de Bach

Dr. Bach percebeu que a ligação doença-personalidade era produzida por padrões energéticos disfuncionais nos corpos sutis. Com seu estudo e observação acreditou que as energias vibracionais sutis das essências florais poderiam dar sua contribuição ao realinhar os padrões emocionais de disfunção.
 As essências florais atuam energeticamente sobre esses corpos superiores, refletindo seus benefícios no corpo físico. Até porque as flores são a parte da planta de maior concentração de força vital, sendo usadas nas porções férteis dos vegetais. Por isso os padrões energéticos das essências florais são fundamentais na interação terapêutica entre o corpo físico e o corpo etérico e os veículos de frequência superiores. A força vital do remédio pode entrar novamente no corpo físico pelo corpo e fluido etéricos, pelos chakras e pele, por suas propriedades silícicas ou cristalinas.
O fluido etérico que leva a força vital para as células é parte do corpo etérico. Certas partes do corpo funcionam como portais para as forças vitais de um remédio vibracional por estarem associadas a diferentes chakras ou meridianos.
Os chakras transformam energia de frequência mais elevada numa espécie de produção glandular-hormonal que afeta todo o corpo físico. Se quisermos alterar terapeuticamente os nossos corpos sutis, devemos administrar energia que vibre em frequências que estejam além do plano físico. Os remédios vibracionais contêm essas energias sutis de alta frequência, pois são essências ou tinturas carregadas com energia sutil de determinada frequência. As características vibracionais são normalmente fixadas pelo agente universal de armazenamento da própria natureza: a água.
Material do 3º Encontro de Florais de Bach do Flor de Menta.
Publicado em Uncategorized | Deixar um comentário

Sofrimento do Floral Beech

PALAVRAS DO BEECH:
Intolerância: Quando a vontade de poder nos coloca na posição de julgadores, superiores em perfeição. A crítica passa a ser o canal de comunicação e de troca interpessoal. O olhar para fora nos distancia da nossa própria realidade íntima, bem como de nossos erros ou imperfeições. Perdemos a humanidade e a ligação com a Unidade. Ao tolerar somos capazes de conviver com o diferente.
Arrogância: O único critério aceito para julgar os valores humanos, é o grau em que num indivíduo se tenha desenvolvido o sentimento social. Por isso precisamos refletir sobre a crença limitante de que somos mais, de que estamos acima dos outros, donos das verdades e da perfeição. Julgamos ser o que não somos e a conseqüência é que o outro não é desejado enquanto outro. O arrogante considera como ser o que não tem ser, pois vive na ilusão em relação a si mesmo. O oposto é aceitarmos o ser sabendo que o que somos agora não está acabado; ainda temos de nos tornar o que somos.
Inflexibilidade: Ser flexível não quer dizer perder a personalidade, mas ser mais acessível à compreensão das coisas e pessoas, principalmente a si mesmo. É saber ouvir mais atentamente antes de interromper como se fosse dono da verdade ou como se houvesse apenas um caminho a seguir.
Publicado em Uncategorized | Deixar um comentário

Harmonizando os chakras com os florais de Bach

Nosso intuito é relacionar os Florais de Bach com os chakras, que são centros de energia localizados seqüencialmente ao longo da espinha dorsal, e responsáveis pela manutenção da saúde de órgãos específicos e de funções orgânicas. Assim, os chakras desempenham uma função fundamental na regulação de diferentes estados de consciência, principalmente no emocional do homem. O equilíbrio emocional depende do funcionamento dos mesmos e dos corpos sutis, onde diferentes estados emocionais produzem doenças ou bem-estar.
O Quarto chakra, o do Coração, está localizado no centro do peito e está relacionado com a glândula timo, e ao mesmo tempo com o coração, pulmões, braços e mãos. Devido a lição de dasapego e amor autêntico que a Essência Chicory precisa aprender, podemos relacioná-la com o equilíbrio desse chakra.
Aprender a amar sem esperar nada em troca, saber desapegar-se e dar liberdade ao outro é o caminho de amor que o Chicory negativo necessita percorrer. Com seu látex e sua aderência emocional, essa flor condiciona os mais próximos.
A cor azul da flor de Chicory é a cor do desapego que transcende a cor do quarto chakra passando para a vibração do quinto, onde uma verdadeira comunicação ajuda a um autêntico amor.
Amar pelo desejo de união, sem o apego, sem que o medo e a solidão o condicione. No estado negativo Chicory usa o poder do terceiro chakra para seus próprios fins, com egoísmo…
Saiba mais no III Encontro de Florais de Bach do Flor de Menta, no dia 24 de novembro.
Publicado em Uncategorized | Deixar um comentário

Na sombra das emoções com os Florais de Bach

Propomos uma relação da raiva, como a grande sombra das emoções, com os Florais de Bach. Para tanto iniciamos com uma citação do próprio Dr. Bach, do livro Cura-te a ti Mesmo: “Ainda não conseguiram perceber que um traço de condenação contra nós mesmos ou os outros é um traço de condenação contra a Criação Universal do Amor, restringindo-nos e limitando o nosso poder de permitir que o Amor Universal se irradie através de nós para os outros”.
Condenamos e restringimos o amor por não sabermos lidar com a raiva que existe por trás de nossas perspectivas limitadas de satisfação e realização. Por não perdoarmos ou aceitarmos os erros e as imperfeições.
Escolhemos quatro Essências do Sistema Bach que nos possibilita uma maior reflexão sobre esse tema. São elas: PINE, CRAB APPLE, HOLLY e WILLOW.
Vejamos a raiva de cada uma e como reagem diante das circunstâncias da vida:
PINE – A raiva vem pela autocensura, pela autocondenação e pelo abatimento. A raiva que sente é de si pela insatisfação com as próprias realizações, por não alcançar melhores resultados, inclusive diante de seus elevados padrões. São os responsáveis por todos os erros, permitindo que o complexo de culpa tire todo seu prazer pela existência.

CRAB APPLE A raiva vem pelo desgosto e aversão de si mesmo e pelas qualidades negativas de sua natureza (autorreprovação). A raiva que se sente é de si por agir de forma cruel, pela impureza devido a um hábito mental não modificado e pela aparência imperfeita.
HOLLY A raiva vem pelo ciúme, pela desconfiança, pela revolta e pelo sentimento de ódio em todos os níveis. Ódio que está por trás dos aspectos negativos do caráter. Dá origem à insegurança, a agressividade, ao ciúme, a inveja e a desconfiança. A raiva é do outro por estar contra ele, produzindo mal-entendidos, sentimentos negativos e irados para com os semelhantes.
WILLOW A raiva é pelo ressentimento íntimo, pela amargura e pela atitude de “vítima do destino”. A raiva é do outro, apesar de “engolida”, pois joga no mesmo a culpa pelos seus erros, por seus infortúnios e adversidades. Sentem-se marcados pelo destino para fracassar ou sofrer, contudo não por uma falta sua. Vê-se injustiçado pelo tratamento que recebe e por seus esforços não compensados.
Encerramos com outra citação do Dr. Bach do livro “Conhece-te a ti Mesmo”: “Nenhuma grande escalada jamais foi empreendida sem falhas e quedas, de modo que estas devem ser consideradas como experiências que nos ajudam a tropeçar menos no futuro. Nenhum pensamento referente a erros passados deve nos deprimir; são coisas passadas e concluídas, sendo que o conhecimento adquirido por seu intermédio ajuda-nos a evitar que eles se repitam”.
Desejamos boa sorte a todos!
 
 

Publicado em Uncategorized | Deixar um comentário